Resenhas

Sepultura - 29.07.2017 - Sesc Belenzinho, São Paulo, SP

Por André BG | Em 31/07/2017 - 02:20
Fonte: Alquimia Rock Club

 

Recém-chegado de mais uma bem sucedida turnê pela Europa em divulgação de seu mais novo e aclamado álbum Machine Messiah, o Sepultura realizou uma serie de 3 shows no Sesc Belenzinho em São Paulo com ingressos totalmente esgotados logo no inicio das vendas dias antes dos shows. E o Alquimia Rock Club teve a honra de cobrir o ultimo desses 3 shows, realizado no ultimo sábado.

 

Em mais uma performance arrasadora, a banda mandou um set list composto por alguns temas do mais recente trabalho como “I Am The Enemy” e “Phantom Self”, muito bem recebidas e já conhecidas pelo público seguidas de “Kairos”, que é um clássico mais recente e “Desperate Cry”, um clássico antigo, que deram uma boa amostra do que viria pela frente com a execução de músicas mais recentes intercaladas com clássicos mais antigos, agradando tanto os fãs mais antigos como também os mais novos, sendo assim, executaram porradas como “Sworn Oath”, “Inner Self” e a instrumental “Iceberg Dances”, nessa ultima o guitarrista Andreas Kisser mostrou seu talento também no violão com um solo no meio da música. Muito interessante notar que na execução das músicas do álbum Machine Messiah que possuem instrumentos adicionais de orquestras foram obviamente executadas por samplers, mas soaram bem naturais graças a sincronia e entrosamento perfeito da banda no palco.

 

A porrada “Choke” do álbum Against de 1998 seguida de “Dialog” e “Resistant Parasites” mantiveram o ritmo intenso da apresentação com o público respondendo a altura. Mas indiscutivelmente são os clássicos mais antigos que mais levam os fãs a loucura, sendo assim, “Biotech Is Godzilla” emendada com o famoso cover de “Policia” dos Titãs proporcionaram um dos momentos mais intensos e insanos da apresentação e antecederam a trinca de clássicos definitivos do Metal mundial “Territory”, “Refuse/Resist” e “Arise”, antes dessa ultima a banda ainda ameaçou de forma bem humorada descontraída tocar "Sabbra Cadabra" do Black Sabbath.

 

Após deixar o palco por alguns minutos a banda voltou para tradicional bis mandando “Sepultura Under My Skin”, música feita homenagem aos fãs, (principalmente os que possuem tatuagens do Sepultura) seguida de “Ratamahatta” com Derrick Green mandando ver na percussão e o desfecho final em grande estilo como sempre com “Roots Bloody Roots”.

 

A performance da banda impressionou a todos como sempre, mesmo estando em turnê a todo vapor desde o começo do ano a banda esbanjou muita disposição no palco, com destaque para Derrick Green e sua incansável voz e para o jovem baterista Eloy Casagrande que definitivamente, não é deste mundo.

 

O Sepultura sem duvida alguma é uma banda que desafia qualquer teoria ou lógica, estando cada vez mais afiada no palco mesmo após tantos anos de atividades.

 

 

Set list: 

 

(Intro)

1- I Am The Enemy

2- Phantom Self

3- Kairos

4- Desperate Cry

5- Sworn Oath

6- Inner Self

7- Iceberg Dances

8- Choke

9- Dialog

10- Resistant Parasites

11- Biotech Is Godzilla/Policia

12- Territory

13- Refuse/Resist

14- Arise

Bis:

15- Sepultura Under My Skin

16- Ratamahatta

17- Roots Bloody Roots

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Confira também a resenha do álbum Machine Messiah pelo Alquimia Rock Club: http://www.alquimiarockclub.com.br/resenhas/5433/

 



André BG

Apenas um cara que curte futebol, mulher e Rock 'n' Roll, bebe cerveja e torce para o Palmeiras!

Facebook: https://www.facebook.com/andre.alvesbg.5




blog comments powered by Disqus