Resenhas

Ação Direta 30 Anos - 15.10.2017 - Hangar 110, São Paulo, SP

Por André BG | Em 22/10/2017 - 02:48
Fonte: Alquimia Rock Club

Fotos: Daniel Ferreira Rocha

 

Em atividade desde 1987, a banda Ação Direta comemora nesse ano de 2017 seus 30 anos de estrada, tendo lançado 8 álbuns e feito 4 turnês pela Europa, a banda é considerada uma referencia para o Hardcore nacional. E é claro que esse marco não poderia passar em branco, sendo assim, a banda fez um show comemorativo desses 30 anos no ultimo domingo no tradicional Hangar 110, tocando músicas de todos os seus álbuns, em evento que ainda contou com as bandas Oitão, Rhino e Bastardo.

 

Por volta das 18h40min a banda Bastardo de São Paulo subiu ao palco com a missão de fazer a abertura do evento. Com um público ainda pequeno e tímido na casa, a banda formada no fim de 2013 e atualmente integrada por Nino Tenório (bateria), Felipe Salutti (baixo), Cae Magalhães (guitarra), Diego Rocha (guitarra) e Rodrigo Mutuca (vocal) mandou seu Thrash Metal influenciado por bandas como D.R.I e Nuclear Assault, contando com um som razoavelmente bom, em um set list de cerca de 25 minutos, pouco tempo, mas o suficiente para deixar uma boa impressão para quem chegou mais cedo para prestigiar a banda.

 

 

 

 

 

 

 

Menos de meia hora de espera foram o suficiente para tudo estar pronto para a atração seguinte. Formada em 2012 na região do ABC, a banda Rhino conta atualmente em sua formação com Jean Moura (guitarra solo), Gustavo Toledo (guitarra base), Fausto Henrique (baixo), Ian (bateria) e Rafinha (vocal). O quinteto que vem trabalhando em seu primeiro álbum de estúdio contou com uma presença de público já um pouco melhor e mandou seu Thrash Metal com influencias de Slayer, Anthrax, Ratos de Porão e S.O.D., em uma apresentação empolgante de cerca de meia hora, que teve como destaque a dupla de guitarristas, muito bem entrosada no palco.

 

 

 

 

 

 

 

 

Após um intervalo de pouco mais de 20 minutos era a vez do Oitão entrar em cena para mostrar o motivo de serem um dos principais nomes do Hardcore nacional da atualidade. Formada por Henrique Fogaça (vocal), Ed Chavez (baixo), Marcelo BA (bateria) e Ciero (guitarra), a banda mais uma vez fez uma apresentação visceral, em um set list baseado em seu mais recente álbum Pobre Povo, lançado em 2015, mas não esquecendo também do primeiro álbum 4º Mundo lançado em 2009, com porradas bem conhecidas como “Tiro na Rótula” e “Chacina”, que contou com a participação de Marco da banda Lobotomia nos vocais. 

 

Outras porradas que fizeram o público agitar e cantar foram “Pobre Povo”, “4º Mundo”, “Podridão Engravatada” e “Não me Entrego Não”, que ditaram o ritmo da apresentação de pouco  mais de meia hora. O entrosamento perfeito da banda no palco impressionou como sempre, com destaque especial para a performance do baterista Marcelo BA, simplesmente matou a pau!

 

 

Set list: 

 

1- Intro 

2- Tiro na Rótula  

3- Chacina 

4- Pobre Povo  

5- 4º Mundo 

6- Tormento 

7- Podridão Engravatada 

8- Doença 

9- Trevas 

10- Não me Entrego Não 

11- Imagem da Besta 

12- Intro 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Menos de meia hora de espera e tudo já estava pronto para o Ação Direta celebrar suas 3 décadas de estrada. Contando atualmente com Gepeto (vocal), Marcão (bateria), Galo (baixo/backing vocal) e ST. Denis (guitarra), sendo esse ultimo o mais novo membro, substituindo Marcus "Pancho", que deixou a banda recentemente por motivos pessoais. A banda mandou um set list mais que especial tocando músicas de todos os seus álbuns, fazendo a alegria tanto dos fãs das antigas quanto dos mais novos. Sendo assim, pedradas como “Crueldade” e “Corpo Fechado” do álbum Revolta - Repudio-Confronto-Resistencia de 2004 e Sinais de Pulsação do álbum Massacre Humano de 2006 deram inicio a energética apresentação. O show seguiu com a banda matando a pau ao som de clássicos como “Nunca Mais”, “A Vida Sem a Arte” e “Fatalidades”, que contou com a participação de Priscila da banda Trassas nos vocais, só até esse momento do show, o Hangar já deveria estar pegando fogo, mas infelizmente, o público que já não foi dos melhores também não respondia a altura da ótima performance da banda, ficando um pouco tímido e inexplicavelmente distante do palco, com apenas alguns mais empolgados agitando mais próximos da banda.    

 

Mas a destruição sonora continuou com mais pancadas, com destaque para “Progresso e Destruição” e “Ação Direta”, ambas do primeiro álbum Resistirei de 1991, fazendo a alegria dos mais velhos. “Massacre Humano”, “Deuses, Dogmas e a Violência” e “Por Qual Razão?” foram mais algumas que se destacaram no set list. O carismático Gepeto fez questão de agradecer a presença de todos, para na sequencia a banda mandar as duas ultimas porradas, “Pesadelo” e “Entre a Benção e o Caos”, com algumas falhas no microfone na primeira, mas logo solucionado, encerrando assim a apresentação de pouco mais de 50 minutos, repassando a limpo a história do Ação Direta em um set list bem coerente e muito bem feito.

 

O público presente infelizmente foi aquém do que poderia ser, mesmo para um domingo nublado, uma banda da importância do Ação Direta merecia tocar para mais gente, mas independente disso, os que marcaram presença saíram satisfeitos ao conferir uma verdadeira celebração dos 30 anos de uma das maiores bandas de Hardcore do Brasil.

 

 

Set list:

 

1- Crueldade 

2- Corpo Fechado 

3- Sinais de Pulsação 

4- Nunca Mais 

5- Convictions 

6- Conspiração 

7- A Vida Sem a Arte 

8- Zeitgeist 

9- Fatalidades 

10- Amen 

11- 20 Hours in Hell 

12- Progresso e Destruição 

13- Ação Direta 

14- La Fiesta 

15- Desconstrução 

16- Massacre Humano 

17- Deuses, Dogmas e a Violência 

18- Por Qual Razão? 

19- Parte de Uma Geração 

20- Pesadelo 

21- Entre a Benção e o Caos 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



André BG

Apenas um cara que curte futebol, mulher e Rock 'n' Roll, bebe cerveja e torce para o Palmeiras!

Facebook: https://www.facebook.com/andre.alvesbg.5




blog comments powered by Disqus